FAZ-ME FICAR!!

Sou a Ana luar e gosto de escrever...sempre gostei! não importa se sou mestre da escrita ou apenas uma amadora apaixonada pelas palavras, o importante é que escrevo o que sinto e sinto-me bem a fazê-lo.....


Neste blog, rasgo de mim todas as palavra inúteis. Sei que é cobardia quando me resigno em palavras fáceis, como se fossem asas com as quais escrevo no tempo, tudo o que me vai por dentro.

Não sei, nem nunca soube criar bolhas de ar dentro da escrita, sei que o respirar e o abrandar das palavras se fazem com um sentido lógico mas não respiro propositadamente porque acredito que as palavras de um só tempo se devem beber de um só gole e lidas num só fôlego.

Não sei se me percebem, se me faço entender, se escrevo bem ou mal.... Não me preocupo!!!...

Escrevo para enganar a ira que se inclina para o meu sentir, ou para expor o amor que trago no peito, sofrêga desse mundo ilusório onde a paz reina empunhando como ceptro uma caneta velha, que verte no branco de uma página vazia, pensamentos que só ao vento consigo confiar. 

Eu sei!!! Embrulho-me na pouca sabedoria de vírgulas mal configuradas, de pontos finais que não se deitam na cama certa, mas acabo sempre por sair premiada pela brisa desse entardecer lento que me diz que sou uma felizarda por viver um novo dia, quando para isso me bastou abrir os olhos e FICAR.



Quando o Amor Fala

Ahhh se o amor que pulsa no meu peito se pudesse materializar! Não seriam meras palavras, mas uma ópera repleta de metáforas audaciosas e hipérboles escandalosas.

Consigo imaginar um diálogo tão eloquente que até talvez Shakespeare na sua sabedoria eterna, pediria uma anotação ou outra, com um olhar de aprovação iluminado pelo reconhecimento da genialidade de sentimentos expressa

Haveria uma paixão tão palpável em cada verso cantado que as estrelas do firmamento brilhariam com um fulgor renovado numa vibração simpática ás emoções humanas.

Neste cenário de emoções vibrantes e coloridas cada palavra seria cuidadosamente escolhida não pela mente mas pela alma, destiladas da essência mais pura de tudo o que me vai por dentro.

E as notas musicais? Ahhh!!! Elas soariam como suspiros apaixonados, cada uma reverberando no espaço tocando o intimo da alma dos que fossem afortunados, o suficiente para testemunharem tal espetáculo. Não seria apenas uma performance para os ouvidos, mas uma viagem para o coração, um convite especial para explorar a magnitude do que é amar livremente.

Esta ópera imaginária seria um eterno lembrete, que no cerne da minha existência, pulsa um desejo insaciável por beleza, por conexão e por amor. deixando claro que as melodias da alma se perpetuam através do tempo, um eco sem fim, daquilo que me torna humana.

Porque o Amor cura a alma, e a minha alma agradece!



11 de Abril  2024

Esta Casa Que  Sou Eu

Nesta casa que sou eu,

Sinto paz e alegria.

Cada canto me acolhe,

E cada esquina me guia.

Entre paredes que sorriem,

E janelas que abraçam o sol,

Sinto-me completa e plena,

Neste lar onde sou o farol.

Nesta casa que sou eu,

vivo sem medo da verdade.

Aqui vivo a essência,

Aqui sinto liberdade.

As memórias que aqui guardo,

São de amor e união.

Cada riso, cada lágrima,

Ohh!!!!... que bela conjugação .


Nesta casa que sou eu,

Sou feliz sem hesitar.

Este é o meu refúgio,

Aqui sim.... é o meu lar!



3 de Abril  2024

Eu Amo-te!


Quando as palavras se tornam desnecessárias e o coração fala mais alto, é aí que reside a verdadeira essência do amor...este amor que sinto por ti 

Quando me pedes que te prove o meu amor, escolhendo-te como meu, pergunto-me se saberás ver que o meu sentimento é puro, intenso e incondicional. Que me entrego de corpo e alma, sem reservas nem hesitações.

E quando te digo "eu amo-te" são mais do que palavras ao vento. Estou a dizer-te o que vai além da linguagem verbal, estou a falar-te de tudo o que me vai por dentro, dar-te a conhecer emoções profundas e sinceras, numa entrega total, de confiança absoluta, e cumplicidade sem limites.

Estou a abrir-te as portas do meu coração e a permitir-te vislumbrar a intensidade do que sinto por ti.

Por isso, quando digo "eu amo-te", estou a dizer quero que sejas a minha luz no escuro, o meu porto seguro nas tempestades. Estou a dizer que contigo quero encontrar o meu lar, o meu refúgio, a minha paz, desejo que sejas tudo para mim, que te tornes o meu mundo. Sem vírgulas, sem espaço, sem ponto final. Porque o amor não conhece pausas nem interrupções. É um fluxo contínuo de sentimentos que nos envolve e nos une num só coração.

 E é assim que te digo: eu amo-te para sempre e mais um dia.


30 de Março de 2024 

Se Este Filme Fosse meu

Se este filme fosse meu

Se fosse eu a mandar

Seria uma comédia absurda

Para o povo acordar

Teríamos políticos palhaços

E artistas sem talento

Num enredo tão caricato

Que nem seria um tormento

As leis seriam trocadas

Por caprichos do diretor

E o povo manipulado

Pelo medo, pelo temor

No meio da fita louca

o povo é sempre oprimido

Seria uma comédia absurda

Sem graça e sem sentido

Um país de risos forçados

Onde a seriedade se perdeu

E os sonhos foram trocados

Por um circo alguém ofereceu

Se este filme fosse meu

Seria uma sátira hilariante

Que nos fizesse refletir

Sobre este sistema

Tão inconstante.




29 de Março de 2024

Olá Estranho!

Olá estranho!! 

Quando penso em como o teu simples "OLÁ, BOM DIA ANA !! " desencadeou tantas emoções complexas, percebo que a vida é realmente cheia de surpresas e reviravoltas inesperadas. É como se cada palavra trocada pudesse abrir portas para novos caminhos e possibilidades, desafiando as minhas convicções e abrindo-me para novas experiências. Neste caminho que se abre á descoberta tenho consciência que sendo eu a imperfeição mais perfeita de mim mesma, aterroriza-me a ideia de mostrar-te o quanto sou feita de cicatrizes e sonhos, de erros e acertos que moldaram quem hoje vês. Seria tão bom saber que irás ter a sensibiidade de entender que cada falha minha é um pedaço do meu ser, uma parte essencial da minha jornada, mesmo que na minha imperfeição, tu encontres beleza, encontres a força e a robustez que me faz continuar a crescer e evoluir. Por vezes vem á cabeça perguntar o que é que procuro em alguém e dou-me conta que nunca busquei a perfeição idealizada pelos outros, mas sim a autenticidade que define  alguém como peculiar num remoinho de gente "comum". Estarás disposto a desconstruir tudo o que me vai por dentro, sendo que cada marca no meu corpo e na minha alma conta uma história, revela as batalhas que enfrentei e as vitórias que conquistei? Dás-te conta de que sou um mosaico de experiências, um retrato vivo da complexidade humana, que trago em mim todo o bem e mal que me foi feito, e se muitas as vezes  os meus olhos brilham, é porque sou feita de amor, não sei dar alma ao ódio nem forma ao rancor.

Ai, tanto que eu quero que cada palavra tua, seja uma melodia suave que acalma a minha alma inquieta em compreender; 

por que razão o meu coração oscila, nesta desconstrução emocional do querer e retrair. É uma questão que ecoa nas profundezas da minha mente, como um mantra constante que me acompanha em cada passo desta dualidade de sentimentos que me consome e é avassaladora, como se estivesse presa numa dança interminável entre a luz e a escuridão.

Olá estranho!!!

Sabes?!!.... 

És um enigma que desafia a minha compreensão, mas ao mesmo tempo sinto-te como a resposta para as minhas perguntas. 

Se pudesse traduzir em palavras a intensidade do que sinto quando estou contigo, diria que és a luz no fim do túnel, a esperança num mar de incertezas. És o motivo pelo qual o meu coração bate descompassadamente, entre o medo de me entregar e a vontade irresistível de te abraçar com toda a força. Fazes com que me sinta uma equilibrista em cima de uma corda bamba, lutando para manter o meu centro, enquanto o vento sopra furiosamente à minha volta. Mas é tão bom!!


Olá Estranho!!!

Até que ponto estarias disposto a ir neste abraço da imperfeição mais perfeita do que sou? Aceitarias que eu não fosse um quadro em branco esperando  ser preenchido com as cores da vida? Tu sabes que não posso ser um quadro em branco, mas seria singular, não pela ausência de cor nem de falhas, mas sim pela coragem de abraçá-las e transformá-las em fonte de beleza e inspiração..... 


Olá estranho!!!!!



28 de Março de 2024



Sonho-te!

É-me tão difícil dizer de forma inspiradora o que de mais sublime eu sinto.

É como se a palavra ou a forma de a escrever, não acrescentasse nada de novo à simplicidade sóbria do meu sentir, nem beleza sincera à minha mentira, quando quero acreditar que já nada de ti me resta, quando és o tudo que me sobra, para que o meu olhar não se feche de vez. 

Eu sei que as minhas palavras não precisam de ser esteticamente apetecíveis para que descubras nelas o amor que te tenho.

Nem sequer será por sonhar-te mais do que te sonho, que irei amar-te mais do que te amo, porque sempre te vi lindo e brando adivinhando em ti todas as melodias pelas quais aspirei no meu dia-a-dia sem sentido.

Imaginei-te!! Senti-te!! Sim, senti-te como se em mim sempre tivesses existido.

Deve ser a este sentimento que chamam de paraíso.

Também não me importa se não for, porque vou continuar a sonhar-te.

Vou continuar a acreditar que ainda existo em ti, porque se eu sentir a mente narcotizada talvez eu consiga sobreviver aos dias frios que se avizinham… Sou feliz com a miragem e a crença de que encontrarei em ti o que é de longe, quando o perto, não é de parte alguma, porque a periferia dos sentidos, acabou por se fundir com o centro de tudo o que somos.

Sempre acreditei que a única essência da vida é ser feliz.

Se não o é meu amor, então nada mais me importa a não ser a ilusão de ver nas coisas, a tonalidade mais fremente que o coração pintou, na inocência dos sonhos


17 de Março de 2024

Por quem me tomas?!!!!

Por quem me tomas, oh estranho ser?

Um mero reflexo?! Um eco a esmorecer?

Não vês a alma que em mim pulsa e arde,

A força que me move, o sonho que alarde?

Por quem me tomas? Um coração ferido?

Um ser sem amor, um sonho esquecido?

Não percebes a mágoa que me devora,

A saudade que me consome a toda hora?

Por quem me tomas, ó cego coração?

Não sentes a dor da minha solidão?

Sou mais do que pareço, mais do que supões,

Sou feita de versos e de paixões.

Por quem me tomas, oh homem cruel?

Uma simples mortal?!! Um ser infiel?

Não sabes da luta constante em meu peito,

Do amor que carrego e do medo desfeito.

Por quem me tomas, e julgas sem razão?

Não crês na verdade do meu coração?

Sou feita de sonhos e de realidades,

De lágrimas e risos, e muitas tempestades.

Por quem me tomas, oh desconhecido ser?

Escuta as palavras que não queres entender,

Por trás deste olhar há um coração puro,

Que não bate ao ritmo desse teu....... que é tão duro,



14 de Março de 2024

Foto de Nelson Ferreira


Sou Mulher

Sou mulher, forte e corajosa,

Que enfrentou o mundo de cabeça erguida.

Desafiei convenções e quebrei barreiras,

Em busca da minha verdadeira vida.

Sou mulher, dona do meu destino,

Livre para amar e escolher o meu caminho.

Não me curvei diante das adversidades,

Lutei com garra e muito carinho.

Sou mulher, de sonhos e desejos,

Um oceano de força e emoção,

Em meu peito ardem os mais intensos beijos,

Sou a chama que incendeia a escuridão.

Com graciosidade caminho no mundo,

Com olhar firme e alma resplandecente,

Nada me impede, nem mesmo o mais profundo

Dos medos que assombram minha mente.

Sou mulher, guerreira e valente,

Que não se deixa calar ou diminuir.

Com voz firme e olhar determinado,

Conquistei este lugar sem desistir.

Sou feita de força e coragem,

luto pelos meus ideais e anseios,

nada pode deter a  minha passagem,

Sou livre, dona dos meus próprios meios.

Sou feita de ternura e coragem,

De doçura e de firmeza,

Caminho com bravura nesta viagem,

Em busca da minha própria grandeza.

Sou mulher, única e inigualável,

Com força para enfrentar qualquer desafio.

E mesmo que o tempo passe e as rugas apareçam,

Sempre serei aquela que viveu com um coração bravio.


8 de Março de 2024


 URSO DO PICO

Se fosses um poema serias másculo

Serias o rugido do urso na montanha

A bravura dos guerreiros antigos

A determinação dos que nunca se rendem


Serias a chama ardente que consome o medo

O trovão que ressoa nos corações valentes

A tinta negra que marca as páginas

No emaranhado de versos contradizentes


Tu serias a tempestade que desafia o céu

O grito rebelde que rompe com o silêncio

E assim, em cada verso e estrofe,

Serias a força bruta da poesia,


O poema másculo que nunca se curva.

a ternura de um abraço apertado

a saudade que mora no peito

e a esperança que nunca é deixada de lado


Serias a paz que o silêncio traz

a força que vem da vulnerabilidade

serias a poesia em cada suspiro

e a beleza escondida na simplicidade


Serias a melodia suave num dia cinzento

O sol que ilumina as sombras mais escuras

Tens o  poder de transformar o ordinário

No belo e eterno nas almas mais puras


Assim serias tu, poema másculo e lindo

A inspiração que move corações e mentes

Com tua presença marcante e singular

Elevando-nos às alturas mais envolventes.


Se fosses o meu poema!

Serias a luz nas sombras da noite

O abraço caloroso em dias frios

O sorriso que ilumina a escuridão

A inspiração que me faz voar alto

Serias a saudade que me aperta o peito

O amor que transborda sem medida

A esperança que nunca se desvanece

A força que me mantém erguida


4/Março/2024

Quem és tu…

Que deixas o nome nos meus sonhos

O perfume na minha pele

E no meu corpo dorido, 

Onde outros dedos foram aves de verão,

A tua boca traça um trilho de palavras gemidas, 

Dizendo que sou tua, sem nunca o ter sido.


Quem és tu…

Que me estende uma inquieta mão...

Um coração… 

Uma casa aberta, que os meus dedos invadem, até ao fundo dos sentidos. 

Chego ao fim para voltar ao principio, decorando o que já sei, e é sempre nova, a leitura da tua pele…

?

Quem és tu …

que não escreve; sussurra…

Que não fala; murmura…

Que se descreve em palavras secretas, 

que não fecha a porta, retém-na aberta,

á entrada triunfal do desassossego de passos conexos,

Gestos convexos,

Olhares e sentires

e tudo o que estiver para vir.

?

Quem és tu…

Que soltas a mão 

Desenhas traços sem rumo no meu corpo…

Dormes sobre o cansaço, 

Embalado no momento breve, da esperança.

… Divides comigo os intervalos da vida.

E partes sem anunciar a mudança.


Quem és tu?! Diz-me quem és tu, que me faz tanta falta?!


1 de Março de 2024


Pensamentos


Por vezes as razões que nos levam a não viver determinadas coisas que até queremos muito, são tão pessoais e profundas que é difícil transmiti-las aos outros de forma a que nos entendam e não nos levem a mal. E está tudo bem!!!

Cada um tem o seu caminho, as suas batalhas internas e as suas escolhas a fazer, para poder manter a paz interior e estar em harmonia. Se alguém não compreende este nosso sentir, é porque tb não gosta, nem se preocupa connosco e se acabarem por ir embora, é pk tb não pertenciam aqui. Está tudo certo!!!

Tenho para mim, que por muito que eu queira viver algo, devo confiar sempre na minha intuição ouvir o coração, mesmo que não entendam as minhas razões. No final do dia, sou eu quem vive com as consequências das minhas escolhas, por isso tenho sempre este cuidado de nunca agir contra o que realmente preciso e quero no momento. Eu estarei sempre em primeiro lugar na minha vida e sei que esta minha transparência e autenticidade são o meu maior trunfo. De uma coisa tenho a certeza, irei manter-me firme aquilo que preciso neste momento, ás minhas convicções, e ser aquilo que sempre fui, resiliente. Acredito que o mundo pertence àqueles que têm coragem de ser quem são, independentemente do julgamento alheio ou da mania de quererem tudo do jeito que entendem sem pensarem se tu estás bem ou preparada para viver algo, naquele momento.

Por isso, mesmo que por vezes, tenha de ir contra os meus desejos e vontades, só eu sei o que é melhor para mim.... E isso basta!!!


3 de Março 2024





Ai se....!!!!

Se os meus lábios fossem melodia, seriam a canção mais doce e envolvente que já se ouviu. Cada nota seria carregada de sentimento, tocando o coração daqueles que a escutam e deixando uma marca relembrável nas suas almas.

/

Se os meus lábios fossem livro, seriam repletos de histórias fascinantes e segredos bem guardados. Cada página virada revelaria um novo capítulo da minha vida, cheio de reviravoltas emocionantes e surpresas inesperadas.

/

Se os meus lábios fossem uma janela, revelariam todas as minhas angústias e alegrias, medos e esperanças. Seriam capazes de transmitir tudo o que há dentro de mim sem dizer uma única palavra, apenas com um olhar ou um sorriso discreto.

/ Se os meus lábios fossem uma porta, seriam abertos sem medo ou hesitação. Cada segredo guardado seria revelado com honestidade e transparência, mostrando a verdadeira essência que habita dentro de mim.

/

Se os meus lábios falassem seriam capazes de curar feridas invisíveis, de acalmar tempestades interiores, despertar paixões adormecidas. Seriam a expressão máxima do amor e da ternura, capazes de transformar o silêncio em poesia e os gestos em melodias.

/

Se os meus lábios fossem livres para falar, Contariam histórias de amor e dor, De alegria e tristeza, de esperança e desilusão. Seriam testemunhas desta jornada de palavras caladas, em que o silêncio fala por mim.

Ai se estes lábios falassem!!!


29 de Fevereiro de 2024


No chamamento da noite 

Enlaço a língua em beijos de espuma 

Sonho, canto, gemo, grito a par com os ecos devolvidos à rebeldia, pelos sentimentos com que te perfumo a cama. Depois… Muito depois do beijo

Sei que vais partir na inexistência de qualquer tempo.

 Não temos horas nem dias, vejo apenas os olhos, as mãos, os beijos, estenderem-se como lençóis de angústia na hora da partida.

Quero-te, é certo que te quero... Mas não te imploro que fiques; na hora da maré sou mulher do homem do mar. 

Guerreira aguardo, firme e de pé a tua próxima chegada, sem dia nem hora marcada.

Pouco me importo de me perder em ti ou por ti, pois nada me dá mais prazer do que me sentir perdida naquele exacto lugar onde nasce a perfeição de tudo o que me fazes sentir.

Amo-te!!!

E é por amor que o meu coração fraco te pede…. Volta!!! Volta para mim!!

 Não me deixes adormecer todos os dias na certeza de um acordar indeciso.


27 de Fevereiro de 2024






 Onde estás tu?!! 

Tu que escondeste comigo, a noite nas dobras de todos os destinos, para que nada nem ninguém se colocasse nas loucuras por nós cometidas ?

Sinto a falta desse homem que me elevava ao cimo de tudo o que nunca acreditei ser capaz, esse ser que me fez doar amor com o calor da minha voz, que sonhou os meus sonhos e provou os meus beijos sonhados, buscando forças para enfrentar todos os ângulos sem sentido, em que a vida nos colocou.

Onde estás?!!!

Saberás a falta que sinto de me escapar contigo pela noite dentro ?

Dormir no colo de cada onda desse mar que inventamos como nosso, onde sedentos de amor reluzíamos como estrelas a cada anoitecer?!

Onde estás?!!!

No silêncio de cada noite ecoa ainda a tua voz, que me pedia: Promete-me que ficas!!!... Construirás entre  silêncios, um hoje do ontem que fomos, com a certeza que sendo impossível viver o sonho que sonhámos, o amor estará e será sempre algo presente... Promete-me!!!


PROMETO!!.... prometo, mas já não sei onde estás para que me possas ouvir...

Mas sei que onde o silêncio se aconchegue, as minhas mãos tocarão as tuas como na primeira vez, deixando a água do mar escorrer em promessas eternas de um amor que se enche de luz todas as noites, iluminando todos os que se amam em segredo.



1 de Janeiro de 2024



Erguem-se véus de mil cores à sua passagem, enquanto se dobram em curva o dorso dos que não a ousam olhar de frente.

Alheia ao que se passa à sua volta ela caminha pelo trilho do desconhecido, com os olhos erguidos para que o sol a presenteie os calores que lhe atribuem.

Em cada esquina, redescobre um banho de essências doces, suaves, que vêm de um recanto oculto, plantado no meio dos seus seios.

Indiferente, sorri, parece não incomodar-se que a saibam, que a extraiam, que a descubram; pois o refúgio de todos os seus medos está naquele recanto secreto, onde em longos passeios nocturnos geme palavras a um sonho furtivo.

É no recesso desse sonho, que ela guarda os aromas de tudo o que lhe vai por dentro…

cuida, rega cada pedacinho de terra como se fosse um jardim que não tem fim, onde a beleza sublime das rosas que fazem do seu umbigo morada, se protegem com espinhos afiados para quem as ouse desflorar.

É um jardim só seu!

Um lugar encantado onde os defeitos não entram, tal é o medo de que arruínem a pureza de um enlaço de pétalas delicadas, doadoras de encanto que se abrem inocentemente à passagem do mais imprudente dos mortais.



5 de Maio de 2023

Nem o Brilho Nem a Sombra

Nem o brilho, nem a sombra

Não se agarra quase nada

São as palavras que assombram

A alma triste e cansada

No silêncio da noite escura

O coração bate sem parar

A solidão que perdura

Faz a esperança açucarar

Entre o riso e a lágrima

Há um abismo a separar

O amor que se estima

E a dor que quer calar

Mas no meio da tempestade

Há sempre um raio de luz

Que nos guia na verdade

E nos traz paz e cruz

Por isso não desistas

Do caminho por seguir

Pois mesmo nas horas mais tristes

O amor há-de florir.


5 de Março de 2023


Tenho frio!

Há muito, muito tempo que não sentia tanto frio... 

A culpa será do vento Norte que teimosamente dispersa o entardecer em espasmos de uma dor consentida enquanto imóvel me observa morrer.

Não ouso...

não falo...

nem imploro... 

Não me atrevo!

De tão perdida que estou 

quedo-me ao silêncio de vozes que já não germinam em harmonia, porque sei que não existe nenhuma forma de medição de perdas que explique o cansaço de qualquer vontade antiga na desertificação do coração.

Eu sei!... sei que permaneço em sobressalto mesmo quando aquieto a voz que me diz, que está a chegar ao fim, o rasgo das lágrimas, da sede sentida, do desespero de quem quis sorver de um gole o suco da vida.

Tenho frio..................................................


22 de Fevereiro de 2023

Ser Foleira é Um Gosto

Queriam que ela fosse foleira,

Que se escondesse na sombra,

Mas ela brilhava como estrela,

Era forte e não se domava.

Sua alma era livre como o vento,

Voava sem medo de cair,

Desafiando o mundo cinzento,

Não se deixava moldar pelo julgamento alheio,

Seguia o seu caminho com coragem,

Mostrando ao mundo inteiro

Que ser autêntico tem a sua vantagem.

Não se importava com os olhares tortos,

Com as palavras maldosas a ferir,

Pois sabia que era mais forte

E nada podia detê-la de seguir.

Assim, caminhava com dignidade,

De cabeça erguida e sorriso no rosto,

Mostrando sua verdadeira identidade

E provando que ser foleira é um gosto!!



6 de Fevereiro 2023

Acordando todos os poderes da ausência… encostei-me a ti e descobri que com o acordar da erva, a minha voz canta em rios mansos, palavras difíceis que temi dizer-te, e que exigem ser ditas porque a cada dia que passa, mais me recosto nos contornos suaves do teu nome fazendo de ti meu agasalho; ternura do que vou vestindo!

Por esta volúpia interminavelmente louca...

Acredita… é mesmo verdade…

Eu amo-te!



4 de Julho de 2023

Tenho a idade certa para escrever com o corpo, memórias de um tempo que teima ficar-me por dentro. Um tempo de rasgos vermelhos onde sem pudor, a minha mão conduz a tua nas doces curvas da contemplação, onde me cedo e nego-me na agonia do que quero e do que não permito.

Para ti, danço com ambas as mãos numa viagem inaugural... Não quero o silêncio!!! Quero reaprender as palavras da paixão, reaprender a guardar nelas o que resta dos beijos que sempre me desalinharam os sentidos.

Não desistas!!! Não te quero suspenso, quero-te táctil, tenso, retido no acento vulnerável de sílabas inacabadas que sussurras ao meu ouvido, quando adormeço sobre o teu peito.

Este é o início perene do nosso entendimento, nada de lençóis arrumados à pressa, não quero um espaço construído no vazio do medo, quero apenas tudo o que poderia querer alguém que ama.

Não és mais um rosto, nem mais um corpo na minha cama... Tu és, tu! Aquele que me permite ser quem sou, quem eu gosto de ser, deixando-me despertar amuada, colocando no meu colo um repasto feito de amor e um sorriso que acompanha a mão, afagando o beijo que nela deposito.



2023

No lugar onde me acoito 

quero meu corpo moldado às tuas rimas,

 ser a silaba mais lasciva do poema! 

Ser uma ânsia diferente que de tanto se querer tua, 

entrega-se sem pudor a um texto sem virgulas, 

arrojado e quente.

Neste verso em que me queimo, 

no prazer de te saber dentro de mim, 

as palavras são desnecessárias. 

Neste momento já não sou nada 

a não ser boca, saliva, pele, suor. 

Este é o  fim de noite perfeito.....

 sem ponto final


2023


Canto-te Antes de Dormir

Minha vida, neste momento de incerteza e desafio, quero lembrar-te que tudo ficará bem. O melhor ainda está por vir, mantém a esperança inabaláveis, pois o universo conspira a teu favor.

Neste jardim da vida, és como uma rosa única e especial, pronta para desabrochar em toda a tua beleza e esplendor. Não temas as tempestades que possam surgir no teu caminho, pois são elas que te fortalecem e preparam para os dias radiantes que estão por vir.

 Confia no processo da vida e no poder do amor que reside dentro de ti. Sê paciente, persistente e grata por cada experiência que te molda e transforma.

Qual é a resposta a essa angústia que te traz?

Toma a minha aposta

De que tudo o que é mau faz-nos crescer

Que o meu amor te inspire a abraçar o futuro com coragem e otimismo. Acredita na tua capacidade de florescer mesmo nos momentos mais difíceis. O melhor está reservado para ti, apenas mantém o teu coração aberto para recebê-lo.

Com amor e luz, da tua mãe que te ama acima da vida....  E sabes que com todo o sol que tens esta chuva assim não vai a nenhum lado, vamos esperar por amanhã.... Boa noite meu amor, canto-te antes de dormir.


Agosto de 2023




Se eu fosse harpa entoaria hoje, um cântico tártaro para realçar a destruição de todas as minhas crenças.

Mas não sou harpa… sou apenas gente, que sente, como toda a boa gente.

Gente sem forças… 

Zangada, 

Cansada de ilusionistas, de rostos sérios, que se dizem justos, sábios, sensatos, desconhecendo o poder das palavras que vestem.

Não sou assim! … Não sou e não me rendo a esta classe decapitada de consciência.

Meu Deus! ... Estou sozinha no mundo!

Estou sozinha no mundo...

Sozinha, porque não sei viver dois mundos… Duas vidas!

Sinto que atravessei um furacão violento que não respeitou a minha sensibilidade e sem dó nem piedade me atirou ao chão para lamber todas as minhas possíveis culpas e dar vida ás minhas fragilidades

Neste momento, sou árvore inclinada sobre o abismo. 

Quebrada, fraca pela fadiga e pela violência do embate de ter descoberto a impossibilidade do meu reerguer.

Tenho em mim, a raiva acesa do fio de uma espada cravada no peito da indiferença.

Não luto… Já não luto!

Oiço o rio... Ou será o mar?


12 de abril de 2023


ALICE...MINHA ALICE!

Nas pedras da calçada, caminhavas descarada,

Sem pressa, sem destino, sempre muito apaixonada.

Passos firmes que ecoavam em cada esquina,

Enquanto a tua alma dançava na melodia matutina.

/

Os teus olhos, brilhavam, como estrelas a cintilar,

Observavam o mundo com sede de amar.

Com o teu sorriso, doce e sincero como a flor,

Espalhava alegria, sem pudor.

/

Com as tuas palavras, Alice,

Invadiste corações, despertas-te emoções,

E na cadência dos versos, encontras-te paz,

Foste calmaria no tumulto das multidões.

/

Alice, aventureira dos sonhos encantados,

Exploraste o universo dos sentimentos inflamados.

Em cada rosto desconhecido, uma nova história,

Em cada esquina da vida, uma chance de glória.

/

Com um abraço apertado, aconchegador,

Nas tuas palavras eu encontrava o amor.

Em cada beijo, um pedaço de alma,

Olhavas para mim e dizias: Tem Calma!

/

Oh Alice!!! corrias sem medo dos tropeços,

Pois sabias que da queda nasciam os recomeços.

Nas pedras da calçada, encontraste desafios,

Com coragem enfrentaste-os, com olhos bravios.

/

Corre, Alice!!! corre para o infinito,

Deixaste a tua poesia, o teu amor, a tua prece.

Deixaste um legado de liberdade,

Nas pedras da calçada, em que todos os dias floresces

/

Onde queres que estejas, o meu coração está!

A falta que me fazes!


9 de fevereiro às 13:07 



Não insistas em desvendar a paixão que enlaço no teu pescoço.

Não queiras desmascarar nenhuma das minhas expressões... seria um trabalho longo e penoso. 

Acredita-me, porque tudo o que te digo é verdade! 

Sou de idade e porte orgulhoso… e se desperto simpatia de uma forma geral é porque faço da alma o meu sentir. 

Além disso, não vejo motivo para que me insultes de snobe porque se me elevo no nome dessa esfera iluminada e de rara beleza a lua... é apenas para me sentir mais próxima das estrelas. 

Volto a insistir...

Desiste de tentares saber mais do que aquilo que eu te mostro.

De mim nada mais saberás a não ser que danço na berma do abismo entre o riso e o enigma



1 de Março de 2021

Sabe Deus porque escrevo assim, como se a minha vida tivesse sido dobrada num dos vários esquemas de um origami que depois de vincado, se faz ao vento, saboreando cada recanto enviusado, pelas garras de um destino que nunca quis como meu.

Não entendo!!! Ou não quero entender, porque teimam em dar-me um destino quando sou livre, imortal, invencível contra tudo o que me quer levar para longe de ti.

Tentam!!! Bem tentam as vozes aziagas, mas nem elas me farão acreditar que o amor é uma coisa fugaz….que se dilui na saliva de um tempo que envelhece todos os sentires.

Não é assim!! Não pode ser assim!!!

Chamam-me, mandam-me parar, como se fosse necessário eu estar atenta para perceber o que me querem dizer. Daquelas  bocas tristes só caiem palavras que gritam que o amor não dura… 

Que importa o tempo de duração, se o que sentimos passa a ser eterno só por termos tido a coragem de o ter vivido? 

Não será mais importante este sentimento que nos deixa em estado constante de ebulição a um sentimento retraido de querer viver e não ter coragem para tal?

Voltam a chamar-me, avisam-me, mas eu já não olho para lado nenhum… O meu olhar está fixo em ti,  porque foi em ti que entrelacei as minhas mãos… Deixei de me importar com o que pensam, por medo de me exporem.

O medo corrói-lhes o coração e atrofia-lhes o sentimento.

Não, não os quero ouvir, nem sequer os olharei, seguirei para ti … e mesmo que por vezes eu tenha que recuar, usarei as palavras para desculpar esta teimosia de remar contra o tempo que tenta derrubar as certezas que existem dentro de mim…

Tu sabes que ainda não me adaptei á vida… Desconheço as ausências

As certezas; Sim conheço-as mas guardo-as por dentro para que o tempo que arrebata a vida, não dê por elas e não me leve para longe do teu amor.


14 de Maio de 2021


Julgas-me uma errante… uma caminhante do nada por não ter crença nem fé. 

Julgas mal!!! 

Esse foi o maior pecado da tua crença sobre mim.

Dizes que sou incrédula no meu caminha, quando sonho com um novo mundo e acredito num regressar.

Julgas conhecer-me, quando de mim só conheces o calor de minha boca. Proximidade que as tuas palavras gritam queimar ainda na tua pele.

Imaginaste-me intocável…. Quando eu não suporto deusas nem altares!

Querias-me?!!.... Tocasses-me…… ( limitas-te a adorar-me)... agora é tarde, não moro mais aqui .

Fui, despojei-me de tudo o que pensei ser teu.

Não ficou fé, nem crença que me salvem desta luta que travei com estepes sagradas de alguns desertos ocultos.

Se me escondo? NÃO!!!!… Ainda não morri!  

Ainda trouxe comigo um espólio de prata que guardo nos armários do tempo… A sua inutilidade opõe-se às razões de caminhos percorridos em vão, mantendo o meu andar firme perante alguns passos que me atraiem.

Vai!! Segue o teu caminho, não me tomes por desgraçada, na minha crença. Sei que atrás de uma estrada existe um beco… Atrás de um beco uma luz… A par com a luz, uma justificativa que motive uma escolha que faça todo o sentido no momento final.

De uma vez por todas........ Vai!


20 de Junho de 2021


(uma carta antiga)


Enfado-me diariamente com idealistas maliciosos que “vivem”de acordo com a infinita sapiência, acreditando ser esse o único trilho para a felicidade.Vivem sepultados no saber, nas possibilidades e nas probabilidades de palavras bem colocadas para não ferir susceptibilidades…

Respiram todos os dias, sem perder a cabeça, nem sair do fio delineado para o encontro das almas que levarão desta vida para um outro estado onde habita a perfeição (que enfado).

Almas enfadadas, negras de tédio, mortas de vida… Que rejeitam a subtileza de sentimentos inúteis. (Inúteis… dizem eles!)

Parafraseando Pessoa… eu digo-te meu querido, que nos julgam inúteis, porque não entendem como se ama infinitamente o finito Como se deseja, impossivelmente o possível

Porque queremos tudo, ou um pouco mais, se puder ser

Ou até se não puder ser...

Por isso meu amigo se me perguntas se estou cansada, e se estar cansada é viver… respondo-te que me sinto, cansadamente VIVA!


18 de Janeiro de 2023

Não te assustes, o frio não me arrefece… 

Vem!!!

Deita-te na minha cama 

Quando a lua rasgar o horizonte, 

Prometo-te uma cascata de odores carnais

Rasga-me com tua paixão ardente

Possui-me com força e mente

Desperta os meus desejos adormecidos

Neste labirinto de prazeres proibidos

Atiça tua língua em busca do escondido

No calor da noite, seremos um só gemido

Juntos, Renascemos puros, redimidos

Na penumbra dos lençóis, a luxúria nos guia

O amor que arde em nós é pura poesia


10 de Fevereiro de 2022








Veste-me daquele aroma dos lábios molhados depois de um beijo que pertenceu ao meu corpo depois de (um) amanhecer a dois.

...daqueles braços… impetuosos e exigentes, que cavavam na ternura dos desejos, longas tardes em que fugíamos como corsários do tempo…

… éramos simplesmente felizes.

Veste-me das mãos que tantas e tantas vezes me cravaste na pele, construindo palavras das saudades que ambos trazíamos na ponta dos dedos… fruto do calar o grito de tristeza de não podermos testemunhar juntos, cada amanhecer.

...de segredos… Os segredos que os meus ouvidos guardam; eco de um sonho onde tudo se espera sem nada se pedir.

Canso-me, cada vez canso-me mais… A minha voz cala-se mais um pouco todos os dias e tenho medo que se cale de todo. Por isso imploro…………… Veste-me ou despe-me… Ou talvez seja melhor que me mandes embora de vez… porque o teu silêncio é a tábua rasa para o tormento eterno da minha alma.



14 de Outubro de 2022

Dezembro...

Nunca escrevi nada sobre Dezembro… mas hoje neste 13 dia de Dezembro apetece-me escrever sobre a chuva, essa que chega impelida pelos ventos, inventos rasgados que atingem as paredes do céu... ou do meu ser… Não sei!

Hoje sinto-me cair… como essa chuva malandrinha que geme triste uma sorte que não deseja. Não sei se temo o meu tombar, ou o tombar de temporais que passam como relâmpagos destroçando toda a minha vida.

Não sei! Já não sei nada… fico-me aqui perdida em pensamentos a escutar o vento Oeste que ensaia uma Ode a todos os desiludidos… enquanto isso preparo um copo não de leite, mas cheio da adivinhação dessa manhã em que me resta esperar o tudo ou o nada e o nada já me afogou e o tudo que me levou ao nada, tarde demais quis saber quem sou.

A existência aos Domingos nostálgicos de um dia qualquer de Dezembro é uma míngua e isto que hoje sinto é um estado minimalista de ser.

É hoje… só hoje (espero eu)


9 de Setembro de 2022

Tu Sabes Que...

No abismo do desconhecido,

Onde a incerteza reina e o medo persiste,

Caminho sem rumo, 

Sem saber para onde...

Ou se vida me assiste.

É um remoinho de emoções desencontradas,

Um mistério envolto em sombras e dúvidas emaranhadas,

O coração aperta, 

A mente se agita,

O meu corpo... todo ele, grita!!!

A cada passo

Os lábios secam

As mãos crispam-se

O silêncio predomina

Amar e lutar

Acusar, negar, 

a minha natureza contamina 

Mas se o acaso nos abraçou

Escolhe o destino que eu vou

Queria que fosse fácil! 

Queria ser mais forte !

Mas não importa o quão ruim fique, 

Eu sou capaz!! Confio na sorte!!

Se me deixares ser

Se for eu a determinar

Faço-te ver... que sou um novo mundo e do outro mundo nem te vais lembrar



7/05/2022


Nós podemos mudar isso....!!!!


Nas ruas da cidade, o caos está instalado

Onde a desigualdade social nos deixa abalados

Em meio à pobreza e à corrupção

Nós clamamos por uma revolução

Mas ironicamente, a mudança não vem

Os poderosos permanecem no além

Prometendo justiça e igualdade

Enquanto mantêm a população na calamidade

Parece que estamos presos num ciclo vicioso

Onde a esperança se perde no precipício

Acreditando que um dia tudo vai melhorar

Mas o que será que realmente vamos alcançar?

Então ergamos as vozes em união

E lutemos por uma transformação

Porque juntos somos fortes e capazes de mudar

Este sistema cruel que insiste em nos sufocar

Sim!!!! Podemos mudar isso

Se persistirmos com coragem e compromisso

Não devemos aceitar que o povo seja enganado

Se queremos um país  bem governado.



12 de Dezembro de 2021


Tu E Eu

Sejam traços a dois… ou apenas dois traços

Serão sempre o desalinho de um imenso querer... Querer a dois esboçados em laços de braços rodados em volta da lua,

.............Tu meu,

......................Eu tua.

Traços insuportavelmente felizes... suavizados pela maciez de um olhar ou pelo doce toque de um beijo..

Podia dizer-te que são rascunhos do nome que me escapa dos lábios conjugado no mais conhecido dos verbos... mas são apenas esboços vivos que traço devagar, como as sílabas que uso para definir a ausência encadeada da minha cegueira e do quanto preciso de ti.


Janeiro de 2021





No improvável lugar onde nasce a perfeição de tudo o que me vai por dentro, desfio um rosário de Salmos, punição admitida por amar; sentimento que julguei extinto em mim. Fui refém de um amor escaldado, fundido nas palavras de uma fantasia esquiva em dias de conveniência... Hoje reapareço vestida de amor. Já não me calo, hesitante entre um paro e não paro; hoje não quero parar!!!

Nada me impedirá de percorrer este caminho que me faz navegar num mar de palavras felizes onde os aromas do corpo de quem amo se misturam à certeza de que voltei a ser dona de um tempo que outrora fora meu e que há muito tinha ficado para trás.

Perguntam-me se mudei... Mudei!!! Sem dúvida alguma que mudei, mais que não seja a estratégia do espaço, num ritual consentido. Tenho asas e já consigo voar. 

Antes não me entendia, era como se o amor e a dor fossem um único e só momento que anoitece e amanhece, num sentimento falso, inverdadeiro. Cansei-me!!! Dessa falta de entendimento procurando no recôndito do meu ser algo que me fizesse acreditar no valor de um olhar diferente, na crença de algo mais palpável e verdadeiro… pois nunca fui capaz de sustentar-me de promessas vazias.

Parti sem destino, destinando-me a um estável adiamento e hoje sinto-me revestida de vida, e mesmo que o corpo nem sempre me permita deslizes de prazer, posso dizer que é um prazer ainda ter corpo.

Neste universo onde as palavras dançam ao som da emoção e da transformação interior, encontro-me renovada e repleta da coragem necessária para seguir em frente. O amor renasce em mim como uma chama ardente, iluminando cada passo do meu caminho com esperança e determinação. Não mais temerei os desafios ou as incertezas do futuro, pois sei que estou protegida pela força do amor-próprio e pela fé inabalável no poder da transformação.

Assim, ergo-me das cinzas do passado e abraço o presente com gratidão e optimismo. Cada palavra escrita é uma expressão da minha alma livre e apaixonada, pronta para conquistar novos horizontes e viver intensamente cada instante. Este é o meu renascimento, o meu despertar para uma nova realidade onde o amor verdadeiro floresce em abundância. E assim sigo adiante, confiante na beleza da jornada que se desdobra diante dos meus olhos cheios de luz.


Janeiro de 2021

Poderia dizer-te: Eu sei, que nunca é tarde.

Mas que reflexo teria em ti?

Poderia pintar em ti cores de esperança.

Mas quem me diz que não irias repintá-las, retocando a fotografia para preto e branco?

Poderia abrir-te a porta da alma, de forma mais ou menos legítima, e mostrar-te a tentação pelo abismo dos sentidos e dos sentimentos, convidar-te a reviver as emoções.

Mas abriria em ti um sorriso, ou, criminosamente, traçaria um novo rasto de sangue nas tuas cicatrizes?

Talvez pudesse escrever-te o mais belo poema, enaltecer as virtudes da entrega, de ultrapassar medos e receios.

Mas quem me diz que não iria estrangular ainda mais os teus silêncios, quiçá amordaçados pela vida, pelos outros?

Por me sentir suspensa, encosto-me para trás e sem deixar de olhar-te no mais fundo de ti e do teu imaginado sorriso, deixo que uma ruga de tristeza tua me diga que, de facto, talvez seja demasiado tarde.

Como se a utopia, de repente, se desfizesse nos cacos que não conseguimos colar.

Como se todas as nuvens, ficassem definitivamente negras.

… e não mais fosse possível construir um baloiço na ponta de uma estrela!


Setembro de 2020

Enquanto a alma não souber dizer palavra alguma, a noite nunca será total... 

Haverá sempre uma janela iluminada, 

Uns olhos abertos, 

Uma boca crispada, 

Umas mãos abertas na procura do nada.

O silêncio deixa de o ser pelo desespero do beijo que ficou por dar, 

pelo lençol esquecido nas bordas de uma cama fria onde um nome deixou de repousar....

_E a alma?!!! _questionam a medo todas as minhas emoções.

A alma....oh a alma!......

.Essa perambula pelo nada, implorando a vinda da madrugada, sabendo que a noite vai ser longa!

 Longa e fria, 

Chorosa, molhada.

Cruzam-se as mãos no regaço porque a alma tem mãos que nos resguardam da dor e do sofrimento,

lá fora o vento assobia uma canção de revolta e na revolta de tudo o que sou deixo-me adormecer.



Julho de 2020

Renascimento

O coração alimenta-se de coisas insustentáveis e minúsculas talvez por ser o único vocábulo esférico onde as arestas se harmonizam na procura da verdade… Talvez seja por esse motivo que fecho sempre a porta a disputas que não nos levam a lado nenhum, mas confesso-te que me dói ter sempre razão com relação às coisas que vão acontecendo.

Costumas rir e dizer que tenho a mania das adivinhações mas a única coisa que consigo adivinhar é que o teu corpo é uma casa habitável, os teus braços, janelas que se fecham em meu redor na ânsia de me proteger de tudo o que me causa dor.

Gosto de te adivinhar assim… 

Beijar-te, voltar a adivinhar-te e sentar-me junto a ti no patamar dessa casa que habitamos  

Ao longe, as ondas beijam a areia.... Como acabaste de me beijar a mim.


Março de 2020

Nas veias de um menino cansado, correm litros de sangue de um mundo imprestável, por não lhe ter sido permitido falar a verdade sobre as bocas e as mãos caídas dos que vivem em solo infértil.

Poderia dizer-se que é um tempo de rigor absoluto onde se abdica dos braços da súplica por sabermos que nada existe para doar.

Que trágico este frio que se sente, esta dor que não mente estes abutres que aguardam o encerrar dos olhos antes doces, hoje quebrados que se fecham um pouco mais a cada amanhecer.

Onde estão os pássaros, as flores os risos das crianças e os fins de tarde de amor?

Que distantes dias são estes de um poente de sangue pintado de um frio que não me mata mas que tanto se sente.

......São revoltos os pensamentos,

...........................................as sombras,

...............................................os tormentos

..................................................... daquele menino cansado.


Agosto de 2018


                         “... Tu:

És ...

a mais certa certeza de que gosto de ti,..."

(Nuno Júdice)


..com estas palavras preciso de te dizer que se

abrem as portas de todo um sentir, na esperança que se esgote a dor do vazio que me deixas por dentro quando me dizes a meia voz:

-“Nada permanece por muito tempo, tudo acaba em vazio'' …;

...eu consinto com a cabeça num gesto anunciado pelo silêncio sombrio do teu pronúncio de um breve fim... Mas esse gesto silencioso que uso para acentuar as tuas convicções,é uma grito silencioso para que te cales, para que que não me magoem mais as tuas palavras.... porque na verdade reconheço que só fica vazio o espaço que não permitimos inteirar, talvez pela certeza de que não me perdi dessa saudade que és tu, simplesmente me desencontrei... para que me voltes a encontrar.


Agosto de 2018

Feliz Natal...

Feliz Natal...

As caixas guardadas ao longo do ano, saem dos armários e delas saltam bolas, fitas, estrelas, e um mundo de cores que nos reporta á infância quando os sonhos e as crenças eram pintados de inocência…. Sinto-me sempre menina, ansiosa por ver piscar na minha árvore, um mar de luzes de todas as cores, como se em cada piscadela gritassem um desejo… PAZ, AMOR, SAÚDE, ALEGRIA, REALIZAÇÃO


Por muito piroso que possa parecer, não acredito, que exista um ser humano que não sinta o coração diferente nesta altura do ano. Tudo é mágico, tudo nos parece possível, é como se o mundo dos sonhos se abrisse e os sentimentos sejam tão íntimos que até os cheiros parecem evocar mais vivamente certas memórias, acho que se passa com toda a gente que consiga sonhar e ter um olfato normal (risos). Somos por momentos como que literalmente, transportados para outros lugares ou tempos, vivendo em pensamento, momentos cheios de alegria.

Na casa dos meus pais, por motivos religiosos não se festejava o Natal, mas os aromas da época inundavam todas as divisões da casa deixando em mim uma saudade imensa de ver a minha mãe ao fogão a fritar os adorados sonhos de abóbora e cenoura, a minha avó a mexer o tacho do doce de tomate e eu e os meus irmãos a rolarmos os doces pelo açúcar.


Não tínhamos árvore, nem prendas, não tínhamos luzinhas , nem bolas douradas e vermelhas…. Mas tínhamos uma família a nossa família! Uma família que se reunia nos melhores momentos, não para festejar o Natal, mas segundo a minha mãe... para festejar o Amor, o amor da nossa família.

Tal como muitos de vós, sinto que os tempos mudaram, já nada tem a mesma magia…. Mas o Natal continua a cheirar a bacalhau azeitado com batatas e couves, cheira a rabanadas, a filhós, doce de tomate e abóbora. A mesa continua a ser posta com rigor, elegância e o cheiro das velas mistura-se com os aromas que vem da cozinha. Ainda não sinto o cheiro do azevinho, mas sei que o irei sentir e que o irei espalhar pela mesa junto com os cestos de frutos secos e deliciosos bombons de chocolate.


Os momentos á lareira em roda da avó a contar as suas peripécias de miúda, são trocados pelos anúncios da TV, onde a voz doce de uma criança anuncia o nascimento do menino Jesus, e das imensas publicidades de marcas de objetos a comprar para a tão esperada, troca de prendas. Pode não ser o Natal das nossas memórias, mas continua a ser um Natal de amor em que reunimos os que amamos numa noite de serenidade, cheia de risos e sorrisos, onde as crianças, as nossas crianças... Vibram de olhos brilhantes, perante a alegria de perceberem que tem toda a atenção sobre si mesmas.

Este será o Natal da memória dos nossos filhos e dos nossos netos…. Cabe a nós proporcionarmos-lhes memórias tão aromáticas, quanto aquelas que os nossos pais e avós deixaram-nos.

Que seja sempre um belo Natal…. E que os álbuns de fotos se encham de momentos especiais!


Feliz Natal


18/12/2018

 Do que chamamos de amor, ficou um carinho morno onde o sol se espreguiça num testemunho sagrado do TUDO, que um dia fomos.

Do que chamamos de amor, sobra a PALAVRA orvalhada na madrugada das lágrimas, onde a saudade acamou todo o amor que em mim encerrou.

Do que chamamos de amor, não há sílabas ao vento… Nem beijos de um momento, há apenas AMOR.

Do que chamamos de amor, há um DESTINO cansado; por nós dois violentado, escondido, escangalhado… duplamente destroçado.

Do que chamamos de amor, não há horas indistintas nem tão-pouco horas famintas porque de BEIJOS nos alimentámos.

Do que chamamos de amor, sobrou uma promessa em versos líricos recitados num sussurro quando para sempre eu te disse, ADEUS!


Julho de 2018

Tanto que eu desejei que me resgatasses do isolamento das palavras que me impelem a escrever.

” Tristezas”; dizes -me tu!

_Não são tristezas, são palavras!

“Tristezas”! Teimas em perpetuar.

Meu Deus, serei eu assim como dizes?

Serei eu uma amnésia dos céus; meretriz do ócio da dor?

Chego à conclusão que talvez eu precise de morrer e beber todo o meu sangue, para que o renascer traga de volta a pessoa que hoje confinaste a gestos esfumados de querer.

Não sei! Sinceramente não sei!

Talvez os dias estejam a nascer contra a minha vontade.

Talvez eu me perca na rédeas do tempo ao tentar emoldurar todas as minhas memórias.

Talvez eu precise de morrer, para que a fome de vida não me mate primeiro.

Talvez! Talvez! Talvez!

Penso e repenso em tudo o que falamos, em tudo o que destilamos e não percebo, juro que não percebo porque bebes apenas o ar frio das minhas promessas, quando existe tanta paixão nas palavras que fluem de mim.

Não vês que eu escrevo na doçura terna dos teus beijos, gloriosas aventuras de uma menina/mulher sedenta de ti?

Amimas aflito a lágrima que teima em cair porque sabes que ela é a primeira palavra que me fica, antes da torrente da indiferença em que me sepultarei. Esmagas com palavras o que outros esmagaram com actos, fazendo-me sentir como se eu não tivesse um lugar debaixo da lua…

como se eu fosse uma cidadã anónima perambulando pelas ruas da madrugada.

Por favor não me faças sentir isto, porque se o voltar a sentir; será esse o último dia que te vi.


Maio de 2018

Tu Sabes Que...

Não suporto quando mascaram as palavras.

Odeio!!!..... simplesmente odeio, quando alguém se refere a outro como idoso, em vez de velho.

Raios partam estas pessoas que acham que ser-se idoso é melhor que ser-se velho.

Caramba! Ser velho é uma conquista é uma glória de memórias acumuladas e experiênciadas e mesmo velhos conseguimos incomodar os outros com as nossas ideias e conquistas.

Por isso afirmo já aqui que no dia em que se referirem a mim como idosa, juro que irei sentir que todas as minhas conquistas estarão-me a ser roubadas. Sou uma pessoa lúcida e à medida que o tempo avança sinto que estou mais perto da morte. Não que isso me aflija dado que cresci sempre com uma lucidez da vida acima do normal e aprendi a entender a morte como algo inevitável.

Já dizia o Fernando Pessoa que "a morte não é o contrário da vida. A morte é o contrário do nascimento" Ele tinha toda a razão porque a vida não tem contrários. Quando nos ofereceram o pacote da vida, nele vinha incluída a morte e causa-me estranheza que retirem a morte das palavras usadas em relação a nós quando a morte é algo que nos acompanha desde o nascimento e quanto mais velhos ficamos mais perto dela estamos.

Voltando aos velhos.... Eu não me aflige nada vir a ser velha. Costumo até dizer que serei uma das velhas mais amorosas que podem encontrar dado que tenho um manancial de coisas interessantes para contar e ensinar aos netos e a quem estiver interessado em ouvir e aprender. Ser velho é uma conquista por isso recuso a palavra idoso que é uma completa rendição.

Eu posso ser velha sem nunca ser idosa porque um velho envelhece com toda a dignidade do mundo, levando aos outros, alegria, sabedoria, memórias de tudo o que conquisto ou, aprendeu e viveu.

Já um idoso limita-se a estar ali frente à televisão a ver coisas que nem entende com as pernas enroladas numa manta e umas pantufas calçadas. Geralmente usa fralda porque quem cuida dele tem receio que lhe suje o sofá da moda Os idosos têm muito o habito de colocar o cotovelo em cima da mesa a mão na testa e ficar ali a suspirar e a chorar memórias passadas, um velho pensa que a experiência da vida é um trampolim que lhe deu armas para poder fazer o que ele deseja AGORA antes que seja tarde.

Um idoso morre porque desiste, mas um velho morre porque faz tudo o que adora até ao último suspiro.

Definitivamente EU QUERO SER VELHA !!!!!!


Conhecem aquele texto do Guimarães Rosa, do conto Fita Verde no Cabelo: “Havia uma aldeia em algum lugar, nem maior, nem menor, com velhos e velhas que velhavam, homens e mulheres que esperavam, e meninos, e meninas que nasciam e cresciam (a ver se não me esqueço de comprar este livro de contos para as minhas netas)

Eu quero viver numa aldeia destas com os meus amigos e velhar pela vida inteira. Velhar o engrandecimento do espírito, velhar as coisas que enquanto velhos vamos realizando, desejar que fiquemos menos vaidosos e mais divertidos mesmo que outros nos apontem como ridículos, rir por cada nova conquista nem que para isso precisemos de nos apoiar uns nos outros. Eu quero velhar porque não irei permitir que me roubem a sensação de ser velha. Assim como não irei permitir-me ser uma velha de volta à infância. Quem no seu perfeito juízo quer voltar a usar fralda, a ser repreendido por um fedelho(a) que ainda nem metade da vida viveu? JAMAIS!

É certo certinho que o tempo deixa bem claro em cada pedacinho da minha pele que eu estou a ficar cada vez mais velha, mas acreditem eu NÃO ME IMPORTO DE SER VELHA porque no dia em que a vida achar que eu já vivi o suficiente, sairei como entrei..... Com toda a graça do mundo.


7/05/2018


Podes dançar,

.............Rumba,

...................Tango,

........................Bolero,

....................nos braços de todos os anjos ou demónios.

Deixar que te apertem, que te agarrem, que te amparem…Que te contemplem, que te aclamem, que te amem.

Podes cruzar, descruzar, rodopiar… na fragrância dos ventos ou no afogueio de todos os sóis

porque sou eu que devasso todos os odores que germinam da raiz do teu corpo.


Agosto de 2016

..

Recomeço agora... 

Uma vez mais recomeço nesta madrugada em que no equilíbrio das palavras, o desequilíbrio dos corpos colhem desejos que brotam de um mar, onde hoje navegamos sem sobressalto, sem permitir ao tempo que nos gaste a forma.

Não sei melhor do que tu dizê-lo, mas sei latejar, 

apertar, 

morder, 

chupar, 

passear o meu barco pelas paisagens endurecidas do teu corpo e chamar-lhe vida.

Tu sabes!!! 

Eu sei, que já nada inventaremos de novo mas viveremos em gestos nossos, usando como nossa a voz do encantamento, 

Aquela com que direi o teu nome com a doçura do mel que na garganta me escorre, nume das palavras feitas de desejo que a torto e a direito repetimos a cada toque a cada beijo... 

E nesta mistura da saliva em que as nossas bocas são uma, escreveremos o poema das nossas vidas.


27 de Maio de 2016

..

Há vontades que nascem de novo, sonhos que crescem como se fossem árvores... mas não à formulas secretas para evitar que um dia eu tome o rumo que tomam os anjos… Que viaje para lá da madrugada de cristal, onde nascem as lágrimas que os nossos beijos quebraram.

Por isso peço que chovam dias a fio para que as mágoas que restam dessa certeza vincada na minha alma se lave e as forças da natureza verguem todos os caminhos que trazem ingenuidade dobrada nas malhas de encruzilhadas de destinos que não quis para mim.

O que quero para mim são esses olhos, olhar para ti, por ti, através de ti... e no dia em que o vento do Oeste pegar na minha dor e o sol entrar pela minha alma como o faz por uma janela escancarada, eu seguirei o teu olhar… leve, pausado, seguro; o mesmo que um dia me mostrou com a cor da noite a existência de votos tão sagrados que só poderiam ser quebrados na libertação das amarras da satisfação ardente de corpos insatisfeitos com o tempo que lhe foi permitido amar.

Na incapacidade das palavras deixámos de ser heróis das promessas que nos fazemos........ porque se os fossemos, talvez não sentíssemos o frio da noite quando depois de saciados, reacendemos tudo o que já foi feito, reescrevendo com o suor da paixão mais promessas que por certo iremos quebrar, porque não somos heróis nem santos que deixam voar os sentimentos como testemunho de que é possível inventar um caminho até ás estrelas onde os nossos dez sentidos ficam totalmente acordados.




7 de Março de 2016