11/07/2024 às 11:10

A Soma de Tudo

29
2min de leitura

Sou a soma de muitos medos, medo de falhar, medo de não ser suficiente, medo de perder o que amo. No entanto, são esses mesmos medos que me empurram a sair da minha zona de conforto, a enfrentar desafios e a crescer.

As ilusões, encheram-me os olhos de brilho e esperança, trouxeram consigo um universo de possibilidades. Foram momentos em que acreditei, sonhei e com o melhor da vida. Mas, não há bela sem senão e junto com as ilusões, vieram as desilusões – aquelas que estragaram as minhas expectativas e deixaram cicatrizes para toda a vida. Cada desilusão foi um lembrete de que a realidade nem sempre se alinha com os meus desejos, ensinaram-me a ser resiliente, a reerguer-me, a seguir em frente, mais forte e mais sábia.

Os amores que vivi, deixaram a nu a beleza da vulnerabilidade. Amar é expor-nos, é abrir o coração e permitir-nos sentir com intensidade. Cada amor que vivi, acrescentou cor à minha vida, trouxe-me alegria e um sentido renovado. Contudo, os desamores ensinaram-me sobre a impermanência e a complexidade das relações humanas. Cada desamor foi uma oportunidade de autoconhecimento, de entender melhor o que procuro e o que mereço.

As alegrias, aquelas que aquecem a alma, são momentos preciosos que guardo na gaveta dos afetos. São risos compartilhados, vitórias celebradas, pequenos instantes de felicidade que iluminam o meu caminho. Em contraste, as tristezas trouxeram lágrimas e noites mal dormidas, mas também uma profundidade emocional que enriqueceu a minha experiência porque aprendi a encontrar força na adversidade.

Os sonhos .... Ai os sonhos! Os sonhos que cultivo são estrelas, brilham intensamente, guiam-me para os meus objetivos. Outros, diluem-se no tempo, desvanecendo-se como nuvens passageiras, faz parte.

Sou a soma de todos esses fragmentos – dos medos que me desafiam, das ilusões que me inspiram, das desilusões que me fortalecem, dos amores que me preenchem, dos desamores que me ensinam, das alegrias que me iluminam, das tristezas que me aprofundam e dos sonhos que me guiam. Sou um mosaico de emoções e experiências, sou uma espécie de obra em constante evolução.

E, assim, continuo este caminho que é a vida, grata por cada passo dado, por cada emoção sentida, por cada sonho sonhado.

Ana Luar Vaz*

11 Jul 2024

A Soma de Tudo

Comentar
Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Copiar URL

Tags

@AnaLuar @AnaLuarVaz

Logo do Whatsapp